Orientações Gerais - Dom Oncologia

Orientações Gerais

Contamos com atendimento telefônico 24h para orientações em relação a possíveis efeitos colaterais do seu tratamento ou sintomas que surjam de forma inesperada. Não hesite em contactar nossa equipe de enfermeiros que está apta a orientar e conta com suporte contínuo da equipe médica.

Veja, a seguir, como lidar com alguns efeitos adversos que podem surgir durante o tratamento do câncer:



1 Constipação intestinal: caracterizada pela diminuição da motilidade intestinal, dificuldade de evacuar e ressecamento das fezes. Para evitar esses sintomas, é necessário que o paciente oncológico adote os seguintes hábitos:

  • Consuma alimentos ricos em fibras como frutas, hortaliças, verduras folhosas, legumes e cereais integrais como arroz, aveia, cevada e gérmen de trigo.
  • Beba pelo menos dois litros de água por dia. Lembre-se de que as fibras só regulam o intestino na presença de líquido.



2 Diarreia: caracterizada pela evacuação de fezes líquidas ou semilíquidas várias vezes ao dia. Caso experimente esses sintomas, recomendamos que você:

  • Evite comer alimentos crus, gordurosos, fritos ou com excesso de açúcar, cafeína e condimentos. Ex.: refrigerantes, achocolatados, café, leite e derivados;
  • Prefira alimentos constipantes, como goiaba e caju;
  • Beba líquidos em temperatura ambiente como sopas e sucos naturais para evitar a desidratação e perda de sais minerais;
  • Realize a higiene íntima com água e sabão neutro, não utilize papel higiênico;
  • Observe a quantidade e consistência das fezes para relatar a seu médico.



3 Náuseas e vômitos: alguns medicamentos utilizados no tratamento do câncer podem irritar as paredes do estômago e intestino, causando enjoo e/ou vômitos. Para evitar tais desconfortos, siga as orientações abaixo:

  • Faça pequenas refeições ao longo do dia, mastigando bem os alimentos;
  • Evite doces, frituras e lanches gordurosos;
  • Coma alimentos frios ou em temperatura ambiente para evitar incômodos com os aromas de uma refeição quente;
  • Não beba líquidos durante a refeição;
  • Experimente beber líquidos gelados ou em temperatura ambiente no mínimo uma hora antes ou uma hora depois das refeições;
  • Respire profunda e lentamente ao sentir-se enjoado;
  • Informe ao médico sobre a frequência de náuseas e vômitos para que sejam ajustadas as doses dos medicamentos que auxiliam no controle desses sintomas.



4 Fadiga: caracterizada pela sensação de cansaço e fraqueza, que tende a desaparecer com o término do tratamento. Para evitá-la, siga as dicas abaixo:

  • Durma bem durante a noite e procure repousar após receber a medicação;
  • Faça atividades físicas leves conforme orientação do seu médico;
  • Reserve períodos curtos para cochilar ou repousar durante o dia;
  • Reduza a intensidade de suas atividades diárias para não se sentir cansado (a).



5 Alopécia: queda de cabelos causada pela ação de alguns quimioterápicos. Inicia-se por volta de 15 a 20 dias da primeira sessão de quimioterapia, porém, seu efeito é temporário e o cabelo volta a crescer após o término do tratamento. Para minimizar a alopecia, siga as orientações abaixo:

  • Não utilize quantidades excessivas de xampu e/ou condicionador durante a lavagem dos fios;
  • Prefira um xampu neutro e evite fixadores, alisantes e tinturas que contenham amônia;
  • Seque os fios delicadamente sem esfregá-los com a toalha;
  • Utilize pentes de dentes largos e desembarace os cabelos de modo suave;
  • Invista em acessórios como chapéus, lenços, bonés ou perucas para contornar a queda de cabelo e aumentar a autoestima;
  • Saiba que não é toda quimioterapia que provoca a queda de cabelo. Converse com seu médico e descubra se o seu tratamento pode desencadear esse efeito.



6 Hiperpigmentação: algumas substâncias utilizadas no tratamento quimioterápico podem causar o escurecimento da pele durante a exposição solar, principalmente nas dobras das articulações, nas unhas e no trajeto das veias. Por isso, fique atento (a) às seguintes recomendações:

  • Evite a exposição solar das 10 às 16h;
  • Aplique protetor solar de FPS 30 ou superior nas áreas expostas ao sol;
  • Use chapéu ou boné para proteger a face e a cabeça dos raios solares;
  • Mantenha a pele sempre hidratada.



7 Problemas com a saúde bucal: O paciente oncológico pode apresentar mucosite (feridas), alterações do fluxo salivar (boca seca), cáries de radiação, sangramentos orais, alterações do paladar, infecções fúngicas, bacterianas, virais e necroses ósseas dos maxilares. Estes efeitos ocasionam dor, dificuldade de mastigar, deglutir e falar, perda de peso e alto risco de infecção. Confira algumas dicas e condutas preventivas:

  • A principal medida preventiva é uma rigorosa higiene bucal com uma escova de cerdas macias, pasta dental e enxaguante bucal orientado pelo profissional. Higienize a língua e use o fio dental com cuidado. Faça a higiene oral após cada refeição e antes de dormir.
  • Pacientes usuários de prótese dentária (dentadura ou roach) devem certificar que a prótese esteja bem adaptada, reduzir o uso se apresentar inflamações bucais e se necessário agendar uma consulta para avaliação odontológica.
  • Mantenha a boca úmida e lubrificada. Lubrificantes de mucosa, substitutos de saliva ou agentes que estimulam as glândulas salivares podem minimizar o desconforto da boca seca.
  • Evite alimentos ácidos, picantes e condimentados.
  • Não consuma álcool ou produtos derivados do tabaco.
  • Se aparecerem alterações bucais ou em caso de necessidade de tratamento odontológico, agende uma consulta odontológica especializada e comunique com seu médico ou equipe de enfermagem.